Pandemia provoca diminuição no tratamento de outras doenças em Umuarama

Notícia

Pandemia provoca diminuição no tratamento de outras doenças em Umuarama

Pandemia provoca diminuição no tratamento de outras doenças em Umuarama

Aumentaram os casos de internações clínicas – não covid-19 – nas unidades hospitalares de Umuarama e região. Complicações por doenças que podem ser prevenidas, tratadas ou controladas precocemente, como diabetes, hipertensão, infecções do trato urinário, infartes, derrames, entre outras, estão se tornando mais frequentes e preocupam os especialistas.

“As pessoas focaram na doença covid e parece que se esqueceram que existem outras doenças. Como consequência, o número de internações por complicações clínicas dessas outras doenças, aumentaram muito”, alerta a médica chefe da enfermaria SUS do Hospital Cemil e membro da Associação Médica de Umuarama (AMU), a geriatra Marília Souza.

Nas três unidades hospitalares de Umuarama que atendem casos clínicos, a semana começou com UTIs (90%) e Enfermarias clínicas (85%) lotadas, a maioria das internações ocorrem por consequências de doenças que poderiam ter sido evitadas, controladas ou tratadas precocemente.

Diante disso, a médica chama a atenção para a falta de controle da diabetes e da hipertensão arterial, responsáveis por grande parte das internações clínicas neste momento. A chegada das baixas temperaturas do inverno preocupa ainda mais a médica.

“A ocupação dos nossos leitos clínicos chegou a 100% nos últimos dias”, relata a profissional referindo-se à Enfermaria SUS do Hospital Cemil. “No inverno existe a tendência natural de aumento nos casos de infartos, AVCs e de complicações pulmonares, especialmente em pessoas idosas, hipertensas, diabéticas e fumantes. Isso nos preocupa ainda mais nesse momento”, ressaltou.

A médica pede mais atenção aos cuidados com a saúde. “Faça o controle do diabetes e, se estiver alterada, procure o médico. Não tenha medo de sair, de buscar tratamento logo no início dos sintomas, senão você pode piorar e colocar sua a saúde e a sua vida em risco. O mesmo vale para os quadros de pressão alta, que podem se complicar e provocar um derrame ou infarto, por exemplo”, enfatiza.

De acordo com Marília, a medicina preventiva está fazendo falta. “O medo da covid-19 não pode ser motivo para deixar de se cuidar. Tome todos os cuidados necessários – como uso de máscara, distanciamento e higienização das mãos – mas procure sua unidade de saúde ou a orientação do seu médico de confiança. As outras doenças estão aí e não podemos deixar os cuidados para depois”, aconselha.

Fonte: Associação Médica de Umuarama

Envie sua mensagem Ouvinte Aline FM